Hex Mask UI Icons Arrow Down Arrow Left Arrow Right Arrow Up Brackets Calendar Checkmark Chevron Down Chevron Left Chevron Right Chevron Up Clock Close Connect Copy crown Ellipsis External URL Favorite (off) Favorite (on) Help Home Info Live Mobile Menu Mobile Overflow Paginate Dot (filled) Paginate Dot (empty) Pin Placeholder Icon Play Video Circle Play Video Plus Search Team No-Team-Logo_Fallback_003 Ticket Trophy User Input Video Video Play Icon World X Game Mode Icons Hero Icons Map Icons Platform Icons Social Icons Mobile Discord Facebook Instagram Reddit Twitch Twitter Youtube Weibo WeChat Workshop Icons WorkshopControl WorkshopShare WorkshopInfinite

Glória decadente: Na trilha de Jack Morrison

atlasWeb_hdr900.png

Eu me lembro do dia que Jack Morrison morreu. Foi o dia em que o mundo perdeu um herói.

Como outros membros da chamada "Geração Overwatch", eu passei minha infância admirando Morrison. Ele me ensinou que heróis eram reais. Ele me fez acreditar que até mesmo eu poderia ser uma. Quando ele morreu sob circunstâncias misteriosas, seis anos atrás, foi como se parte de minha infância tivesse morrido com ele.

Os detalhes de sua morte sempre foram poucos e vagos, um fato estranho, dado que ele era uma figura pública famosa. Talvez seja por isso que depois de todo esse tempo, eu me pego pensando sobre a vida de Morrison e me faço a grande pergunta: o que realmente aconteceu com o homem que definiu minha geração?

1_thumb.jpg

Viajando pela área rural de Indiana, é fácil esquecer que uma figura tão monumental como Jack Morrison tenha vindo de um um lugar tão tranquilo e perdido no tempo. Um mar de milharal verde e dourado se alonga de horizonte a horizonte. Não há nenhum vento e nenhum som, com exceção de alguns insetos solitários. Nas raras ocasiões em que cruzo com o caminho de outras almas viventes, todos descrevem o jovem Morrison de maneiras diferentes. Ele era um jovem turbulento. Um filho de fazendeiro humilde. Mas todas essas pessoas concordavam com uma coisa: Morrison nunca esteve destinado a viver seus dias na terra das planícies e do céu azul.

Aos dezoito anos, Morrison fez as malas e se juntou aos militares. Ele planejava servir por um período breve nas forças armadas para depois retornar para casa, para a fazenda de sua família. Mas sua ética de trabalho e coragem chamaram atenção do comando militar. Em pouco tempo ele estava em uma posição cobiçada no programa governamental controverso e ainda confidencial (apesar de amplamente conhecido) conhecido como "programa de aprimoramento de soldados". Cientistas militares moldaram Morrison e outros convocados em soldados perfeitos, abençoados com força, velocidade e agilidades sobre-humanas.

Morrison e os outros soldados aprimorados em breve botariam suas habilidades em ação com o advento da Crise Ômnica. Por todo o mundo, os ômnicos se rebelaram e formaram legiões de robôs militares. O mundo se estremeceu com a aparição de um novo inimigo. Os ômnicos e sua população robótica tinham sido construídos originalmente para reforçar a manufatura e criar igualdade econômica para o mundo todo. Agora, as maravilhas da ciência moderna buscavam derrubar a raça humana, sendo uma das maiores ameaças para a sobrevivência de nossa espécie desde a Guerra Fria no século XX.

Enquanto governos tentavam neutralizar as máquinas e falhavam, a Organização das Nações Unidas estava ocupada criando uma força tarefa internacional chamada Overwatch. Esse grupo pequeno e experimental reuniria os melhores e mais brilhantes ao redor do mundo para fazer pressão assimétrica contra os robôs. A curta lista de agentes em potencial da Overwatch incluía dois membros do programa de aprimoramento de soldados: Morrison e Gabriel Reyes, um oficial sênior. Reyes, um veterano casca-grossa e muito respeitado, cresceu o mais longe possível de uma fazenda rústica de indiana, no caos urbano de Los Angeles. Apesar das diferenças, os dois soldados se tornaram amigos. Sua decisão de entrar para a Overwatch juntos mudaria o mundo, para o bem ou para o mal.

A liderança da Overwatch ficou com Reyes, mas Morrison teve maior impacto no grupo a longo prazo. Ele ressaltava o melhor nas pessoas ao seu redor e ajudou a moldar o grupo diverso (e as vezes conflitante) de agentes da Overwatch em uma força tarefa coesiva. Na união, eles encontraram a força para derrotar os robôs e encerrar a Crise Ômnica. 

2_thumb.jpg

"Até mesmo eu tinha minhas dúvidas se a Overwatch iria triunfar ou não”, disse rapidamente Gabrielle Adawe, Subsecretária Geral e uma das principais articuladoras da Overwatch, após o fim da Crise Ômnica. "Mas Morrison nunca abandonou a esperança. Ele não apenas se encaixava em nossas expectativas do que a Overwatch e seus agentes poderiam atingir, como ultrapassou todas."

A ONU recompensou Morrison por suas contribuições , fazendo dele o primeiro comandante oficial da Overwatch. Reyes foi deixado de lado no processo, o que criou uma rixa entre os dois que levaria a consequências trágicas

Depois da Crise Ômnica, a Overwatch vivenciou uma ascensão meteórica em proeminência. Novos financiamentos e recursos deram à organização, que agora era pública, um alcance de influência global muito maior. O mundo cultuava os agentes da Overwatch como heróis, mas ninguém tanto quanto Morrison. Ele se tornou o rosto da Overwatch, um símbolo de esperança e promessa, das ruas de pedra de King's Row até o mercado noturno de Bangkok.

O Comandante de Operações Morrison visava um futuro melhor para a humanidade. Sob sua liderança, a Overwatch serviu como uma força pacificadora global e força motriz da inovação, fazendo avanços em campos científicos bem variados, como exploração espacial e pesquisa médica. Mas mesmo com o crescimento do poder da Overwatch, Morrison continuou dedicado às pessoas ao seu redor. Ele treinou novos agentes, inspirando neles os objetivos e ideais nobres da Overwatch. No velório de Morrison, Reinhardt Wilhelm, um dos membros originais do grupo, disse: "Ele dedicou tudo o que era para a Overwatch. Ele era nossa bússola moral. Nossa inspiração. Nosso amigo."

3_thumb.jpg

Morrison e seus companheiros conduziram o mundo a uma era de paz e prosperidade sem precedentes, mas isso não durou muito. Duas décadas após a Overwatch ter dado fim à Crise Ômnica e salvado a humanidade, ela foi posta ao chão por uma série de alegações perturbadoras: negligência resultando na falha de missões de alto nível, corrupção e má gerência, proliferação de armas, abusos de direitos humanos e mais.

Um comitê especial da ONU lançou uma investigação secreta extensa dessas alegações. Essa investigação levou ao desmantelamento da Overwatch e seus agentes, um dia amados, agora eram objetos de suspeita e aversão da mídia. Mas antes que tudo isso pudesse acontecer, outra tragédia atingiria a Overwatch, servindo como estopim para à morte da organização.

Com o prosseguimento das investigações da ONU, o quartel general suíço da Overwatch foi destruído em um suposto acidente. Entre as fatalidades estavam Morrison e Reyes. A ONU mantém veementemente a versão de que não houve intenções criminosas por trás desse evento. Entretanto, uma fonte anônima me deu acesso aos documentos oficiais da ONU e outros dados que pintam um quadro diferente dos últimos dias da Overwatch.

A ONU recompensou Morrison por suas contribuições , fazendo dele o primeiro comandante oficial da Overwatch.  Reyes foi deixado de lado no processo, o que criou uma rixa entre os dois que levaria a consequências trágicas.

Esses relatórios indicam que uma rebelião destruiu o grupo de dentro. De um Lado estava Morrison, determinado a manter o que havia restado da Overwatch. Do outro, estava Reyes, cujos objetivos são um mistério até hoje. Uma batalha aconteceu entre esses dois homens dentro da base da Overwatch. Em algum momento, a briga desencadeou uma explosão que destruiu as instalações e ateou fogo aos sonhos de uma geração inteira.

De acordo com ex-agentes da Overwatch, esse resultado era inevitável. "Depois da promoção de Morrison como comandante de operações, sua relação com Reyes mudou”, afirmou Dra. Angela Ziegler, diretora médica da Overwatch, durante uma audiência com a ONU. "A tensão se tornou mais visível com o passar do tempo. Eu tentei remediar as coisas. Todos nós tentamos. Às vezes quando os laços mais próximos se quebram, tudo o que você pode fazer é rezar para não ser pego no fogo cruzado."

Os dados da ONU revelam algo ainda mais perturbador: O corpo de Morrison nunca foi recuperado.

Essa revelação poderia explicar a série de roubos de alto nível e ataques que tem monopolizado as notícias. Um vigilante mascarado que as autoridades tem chamado de “Soldado 76” é considerado o principal suspeito dos incidentes. Além de bombardear escritórios cooporativos corporativos e instituições financeiras nos Estados Unidos, esse indivíduo invadiu várias bases antigas da Overwatch. Soldado 76 roubou várias tecnologias desses locais, incluindo armas experimentais, causando vários danos no processo.

4_thumb.jpg

Eu já ouvi muitas teorias de que o Soldado 76 é Jack Morrison. Teorias que eu teria descartado como ficção. Mas baseado em tudo que eu vi, eu agora acredito que essas alegações são verdadeiras.

Membros da ONU se negaram a comentar sobre a identidade do Soldado 76. Entretanto, funcionários da equipe de segurança que estavam presente nas invasões das antigas bases da Overwatch descrevem o invasor como versado em operações táticas furtivas. Filmagens de segurança do Soldado 76 mostram ele realizando feitos de força e resistência sobre-humanas. Ao meu pedido, o respeitável especialista em ciência forense, Amir Nejad, analisou essas filmagens. Ele determinou que Soldado 76 tem exatamente a mesma altura e compleição física que Morrison em sua última aparição pública.

Se Soldado 76 for Morrison, o que ele está fazendo e por quê?

A veracidade das alegações contra a Overwatch de anos atrás ainda é um ponto de debate. Alguns historiadores e cientistas políticos têm questionado as motivações daqueles que fizeram as primeiras acusações de corrupção contra o grupo. Estaria Soldado 76 em uma missão de vingar a queda da Overwatch e restaurar seu nome? Estaria ele tentando revelar uma vasta conspiração que descreditou e destruiu a Overwatch? Ou seria ele simplesmente um soldado amargo, se agarrando à glória perdida e lutando uma guerra fantasma que ele acredita ainda estar em vigor?

Até mesmo eu, uma criança da Geração Overwatch, sei que as hipóteses mais altruístas são feitas de fantasia. As ações imprudentes de Soldado 76, e sua disposição em botar vidas inocentes em risco, provam que ele não é movido por intenções nobres. Ele é apenas um homem agindo por seus próprios interesses, outro vilão como os déspotas e senhores do crime internacionais que aterrorizam nossas comunidades diariamente.


Na frente do túmulo de Jack Morrison no Cemitério Nacional de Arlington, eu sou lembrada da calma serena de Indiana rural. Como o mar de milharal, filas arrumadas de túmulos de marfim parecem se estender por todas as direções.

Nesse lugar de reflexão e de lembranças amargas, eu percebo ainda mais que Soldado 76 não é o Jack Morrison que conheci em minha infância. O Morrison que conheci não se esconderia atrás de uma máscara. Ele jamais plantaria bombas e roubaria armas enquanto o mundo sofre por mais um ano de guerra e desolação.

Aquele Morrison foi enterrado aqui, seis anos atrás. Tudo o que restou foi a sombra do herói que um dia conhecemos.

Carregando Comentários...

Um erro ocorreu durante o carregamento.